Amor pede Paixão, Paixão pede Proteção!

Conscientização. Essa é a palavra necessária para o caos que o mosquito Aedes Aegypti está causando em nosso país e no mundo. Conscientização, por quê? O controle do transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya baseia-se, simplesmente, em medidas educacionais e sanitárias simples, as quais você pode conferir no link abaixo.

A principal diferença entre as três doenças está na intensidade dos sintomas. A dengue é a mais grave, causando febre, dores no corpo, cabeça e olhos, além de falta de ar, manchas na pele e indisposição. Em casos mais graves, provoca hemorragias, que podem ocasionar óbito. As dores causadas pela chikungunya concentram-se nas articulação, enquanto que na dengue são musculares. Casos de morte são muito raros, mas, em virtude da persistência da dor, a qualidade de vida do paciente é bastante afetada. Por incrível que pareça, a zika é a que causa os sintomas mais leves, inclusive quanto à febre, que é mais baixa. Em virtude dos olhos avermelhados e coceiras, a doença é confundida com alergias. Normalmente, não ocasiona mortes, mas se relaciona com a síndrome neurológica que causa a paralisia – Síndrome de Guillain-Barré – e com a microcefalia.

As recomendações iniciais para quem se contaminou com alguma das doenças são as mesmas: repouso e ingestão de muito líquido. Para as dores, não se automedique. Conhecer a composição dos medicamentos é muito importante, pois remédios que contenham ácido acetilsalicílico podem desencadear hemorragias.

Link para você conhecer medidas fáceis para controlar o mosquito: http://goo.gl/WPR3ek

Uma notícia razoável é que os nossos pets não são contaminados com dengue, zika vírus e chikungunya. Estudos dizem que existe preferência do mosquito por proteína e nutriente humanos. Mas, isso não significa descuido daqueles que possui um peludo em casa. O reservatório de água dos animais devem ser limpos e reabastecidos diariamente, evitando acúmulo de sujeiras e que ali se instaure criadouro do Aedes Aegypti.

Apesar de não transmitir as doenças mencionadas, o mosquito Aedes Aegypti, quando infectado, pode transmitir a dirofilariose, popularmente conhecida como “verme do coração”, mais comum nos cães e com pouca incidência nos gatos. Possui esse nome por se alojar no coração do pet, levando a alterações do órgão, bem como nas veias e nas artérias, causando insuficiência cardíaca. Outros sintomas são: dificuldade de respirar, cansaço, tosse e perda de peso. Como normalmente a doença é diagnostica em seu estágio avançado, pets que moram em grande área de incidência da doença, como as regiões litorâneas, devem ter acompanhamento mensal pelo médico veterinário.

A causa é sua! A causa é nossa! Cuidar do nosso mundo nada mais é do que deixar um espaço saudável e feliz para nossos pets, nossa família e amigos, conhecidos ou não!