Ao contrário do que muitos podem pensar, existem algumas doenças transmitidas por gatos ao seres humanos. Apesar de não ser uma regra, essas enfermidades podem, sim, passar dos felinos e atingir as pessoas, prejudicando a saúde de que convivem com o animal.

Felizmente, é muito fácil prevenir todas essas doenças, mantendo o animal e toda a sua família saudáveis e felizes. Com cuidados básicos e fáceis, você pode evitar que esses problemas surjam e garantir a qualidade de vida de todos aqueles que têm contato diário com o bichano.

Mas afinal, quais são essas doenças? Como podemos preveni-las? Pensando nessas dúvidas, criamos um artigo que explicará quais são as principais enfermidades transmitidas por felinos aos seres humanos e como podemos evitar que elas aconteçam. Boa leitura!

O que são zoonoses?

A nossa história de interação com os animais já dura muitos anos. Ainda na pré-história, o homem aprendeu a domesticá-los e, desde então, estreitamos os nossos laços com essas criaturas e dividimos, atualmente, nossas vidas e também o nosso lar.

No entanto, alguns deles podem transportar agentes nocivos em seus organismos, que podem incluir vírus, bactérias, fungos, parasitas e outros seres patógenos. Esse tipo de estrutura causa doenças — algumas potencialmente perigosas, que afetam o nosso organismo —, embora, muitas vezes, não causem mal aos próprios animais. A esses problemas, é dado o nome de zoonose.

Como esse tipo de enfermidade é transmitido?

Como podemos ver, as zoonoses são doenças transmitidas dos animais aos seres humanos. Por isso, é fundamental compreender como essas interações ocorrem para que possamos evitá-las.

Os principais meios de contágio e transmissão de zoonoses são:

  • contato direto (arranhões, mordidas, saliva, urina, sangue, fezes, entre outros);
  • contato indireto (interagir com o ambiente em que o animal estava);
  • vetores (transmissão completa com a ajuda de outro ser, como um carrapato ou mosquito);
  • alimentação (ingerir alimentos mal-higienizados ou mal cozidos).

Quem corre risco de contrair alguma zoonose?

Ao que tudo indica, qualquer pessoa que tenha contato com animais pode adoecer, certo? Isso inclui, obviamente, os tutores de gatos e outros animais domésticos.

Esse tipo de pensamento é muito comum e favorece o surgimento de preconceitos contra os bichanos e outros pets. Felizmente, ele está completamente equivocado, e é possível ter segurança mesmo convivendo diretamente com os nossos amigos de quatro patas.

Cuidar da higiene do animal, fornecer uma alimentação de qualidade, deixar todas as vacinas e vermifugações em dia e evitar que ele saia às ruas sem supervisão são maneiras de garantir que o animal estará sempre saudável e apto a conviver com você e sua família sem riscos para todos os envolvidos (incluindo, é claro, o gatinho).

É importante ter um cuidado redobrado com crianças pequenas, idosos e indivíduos com o sistema imune mais sensível. Essas pessoas fazem parte dos grupos de risco e podem adoecer com maior facilidade, caso o animal seja portador de alguma zoonose.

Quais são as principais doenças transmitidas por gatos?

Afinal, quais são as zoonoses mais comuns? A seguir, você conferirá uma lista com os problemas mais comumente transmitidos pelos bichanos, além de descobrir como evitá-los e viver tranquilamente com o seu pet. Vamos lá?

1. Toxoplasmose

Iniciaremos a nossa lista pela toxoplasmose, uma das zoonoses mais populares e polêmicas. A maior discussão acerca dessa doença é o fato de que algumas pessoas atribuem o seu surgimento exclusivamente aos gatos, culpando-os inteiramente e colocando-os como únicos vilões da história.

Essa doença é causada por um protozoário que escolhe os gatinhos como hospedeiros finais. No entanto, para um ser humano contrair a toxoplasmose pelas fezes do felino, é necessário que essa seja a primeira contaminação do gato, que as fezes fiquem expostas por mais de um dia no mesmo local e que sejam indiretamente ingeridas.

Outras formas de contágio incluem a ingestão de alimentos mal-higienizados — uma maneira muito mais simples de contrair a toxoplasmose. A prevenção é feita por meio da higiene das mãos após limpar a caixinha de areia, além de evitar que seu gatinho tenha acesso às ruas.

2. Bartolenose

Conhecida como a doença da arranhadura do gato, a bartonelose é causada por bactérias e pode trazer uma série de sintomas aos seres humanos, como: surgimento de ínguas, febre alta, falta de apetite, dores musculares, ardência ocular, entre outros. O tratamento é feito por meio da administração de antibióticos.

Os gatinhos, na maior parte das vezes, não apresentam qualquer tipo de sintoma de que estão com essas bactérias em seus organismos. Esses microorganismos, por sua vez, chegam ao corpo do animal por meio da picada de pulgas, que inoculam os agentes nocivos na corrente sanguínea do felino com a picada.

Por conta disso, é indispensável manter o seu animal sempre livre de ectoparasitas, como as pulgas. Além da bartonelose, elas podem transmitir uma série de doenças e, até mesmo, verminoses, prejudicando a qualidade de vida do animal de estimação. Além disso, evitar passeios às ruas é uma boa medida profilática.

3. Esporotricose

O próximo tema de nossa conversa é uma doença causada por um fungo, a esporotricose. Entre os anos de 2017 e 2018, diversos estados brasileiros — como o Rio de Janeiro e Pernambuco — sofreram com surtos dessa enfermidade, que atingiu não só animais, como seres humanos.

Ao contrário das doenças mencionadas acima, a esporotricose traz sintomas igualmente terríveis para os gatinhos, afetando demais a qualidade de vida desses animais. As principais incluem o surgimento de lesões e úlceras de aparência marcante pelo rosto, além da perda de apetite e de desânimo acentuado.

Felizmente, há tratamentos eficazes contra esse problema, que devem ser levados muito a sério para evitar recaídas. A prevenção também é feita por meio da posse responsável (evitar que o animal tenha acesso às ruas) e a higienização frequente do ambiente dividido pelos pets e tutores.

4. Ancilostomose

Por fim, nosso último tópico diz respeito a um problema causado por parasitas (conhecidos também como verminoses). Esses seres são responsáveis por causar sintomas e desconfortos nos hospedeiros, além de danos progressivos para a saúde e o bem-estar deles.

Os animais podem contrair esses vermes pelo contato direto (com fezes ou alimentos contaminados com os ovos) ou materno. Os humanos, por sua vez, costumam adquiri-los apenas com a alimentação ou o contato com fezes contaminadas. Os sintomas incluem diarreia, falta de apetite, fraqueza e dores abdominais.

O tratamento desse problema, assim como a sua prevenção, é feito com o uso de vermífugos específicos. Por isso, é importante que os animais domésticos sejam sempre vermifugados, a fim de evitar a proliferação ou finalização do ciclo de vida desses vermes.

Como podemos ver, há diversas doenças transmitidas por gatos aos seres humanos. Felizmente, preveni-las é muito fácil! Por meio de cuidados periódicos com a saúde do bichano, nenhum de vocês corre risco de contrair tais problemas. Uma das medidas mais comuns é a utilização frequente de vermífugos (feita em três doses: primavera, inverno e verão). Simples, não?

Ficou com alguma dúvida? Então, não hesite em entrar em contato com a gente! A equipe Linha Vermivet está sempre à disposição para responder a todos os seus questionamentos e bater um papo sobre os pets e suas curiosidades. Estamos no seu aguardo!