Para que seu amigo pet esteja sempre forte e feliz, é muito importante que ele esteja saudável, e isso depende dos cuidados que você oferece a ele. Além de dar uma boa alimentação, é essencial estar atento às verminoses em cães e gatos.

Essas patologias são muito comuns em animais de estimação e requerem atenção, já que podem trazer complicações severas para a saúde do seu amigo. Além disso, alguns desses parasitas também podem causar infestações em humanos.

Neste post, vamos explicar a você o que são as verminoses, por que é preciso prevenir esse problema e como é possível tratá-lo. Você vai conhecer também os principais vermes que afetam a saúde de cães e gatos. Continue a leitura!

Definição de verminose

A verminose é uma doença que ocorre quando o organismo é infectado por parasitas. Esses vermes podem se alojar no intestino, estômago, esôfago, coração, pulmão e rins. As consequências que trazem são muito perigosas, podendo, inclusive, levar o animal à morte.

Existem diversos tipos de parasitas que causam verminoses em cães e gatos. A forma de transmissão também é bastante variada, bem como o ciclo de vida e de reprodução dos vermes. Os sintomas e as complicações que eles podem causar se diferem de acordo com o tipo de parasita e o local onde ele está alojado.

Importância de prevenir essa patologia

Os vermes são parasitas que se aproveitam de outro organismo vivo para a sua própria sobrevivência. Por isso, quando acontecem as verminoses em cães e gatos, os bichos involuntariamente servem como abrigo para esses parasitas, que afetam a saúde deles.

Dessa maneira, é essencial que as verminoses sejam identificadas e devidamente tratadas a fim de evitar que complicações aconteçam. Além disso, o ideal é prevenir. Alguns problemas que essas patologias podem ocasionar são:

  •  anemia;
  •  diarreia;
  •  vômito;
  •  ruptura intestinal;
  •  pneumonia;
  •  perda de peso progressiva;
  •  retardamento do crescimento;
  •  predisposição para outras doenças;
  • perda de sangue;
  • convulsões;
  •  irritações teciduais;
  •  infecção;
  •  destruição de tecidos e mucosas;
  •  obstrução de vasos sanguíneos e órgãos ocos.

Além de tudo isso, esses parasitas interferem no aproveitamento dos alimentos e dos nutrientes. Eles também liberam exotoxinas e endotoxinas, provocando uma reação tóxica no organismo do animal.

Ciclo de transmissão dos vermes

Quando as verminoses em cães e gatos não são tratadas, novos animais acabam infestados por esses parasitas. Isso porque o ciclo de transmissão não se interrompe sozinho, sendo essencial eliminar esses animais e prevenir que outros pets sejam infectados por eles.

O ciclo de transmissão das verminoses é contínuo. Quando um animal está infestado por vermes, ele libera os ovos dos parasitas por meio das fezes. Um animal sadio, ao ter contato com esses ovos, seja ingerindo ou até mesmo inalando-os, também passa a ser parasitado.

No novo organismo hospedeiro, os ovos vão eclodir e os vermes se reproduzirão e liberarão ovos que serão depositados no exterior por meio das fezes. Dessa maneira, o ciclo se reinicia quando um outro animal tem contato com os ovos e é parasitado.

O mesmo pode acontecer com os seres humanos. Algumas verminoses não acometem apenas cães e gatos e também podem ser transmitidas para as pessoas. Esse é o caso, por exemplo, da ascaridíase, provocada pelo parasita Ascaris lumbricoides e popularmente chamada de lombriga.

Como os animais não podem se proteger sozinhos, cabe aos seus donos tomar as devidas precauções para tratar e prevenir essas doenças. Dessa maneira, os pet lovers vão se certificar de que estão cuidando bem de seus bichinhos. 

Principais verminoses em cães e gatos

Como dito, existem diversos tipos de parasitas que podem causar verminoses em cães e gatos, mas alguns são mais comumente responsáveis por causar infestações do que outros. Veja a seguir quais são os mais recorrentes:

Ancilostomas

Afetam tanto os cães como os gatos. Os cachorros são afetados pelo Ancylostoma caninum.  os gatos pelo Ancylostoma tubaeforme. Em ambos os casos, a infestação ocorre quando o animal ingere alimento ou água contaminada. Filhotes também podem ser infectados pelo leite materno.

Esses animais se alojam no intestino do pet, alimentando-se da mucosa e causando sangramentos que podem ser notados nas fezes. O hospedeiro desenvolve anemia em função da quantidade de sangue perdido.

Dipylidium caninum

Apesar do nome, esse tipo de verme parasita pode ocorrer tanto em cachorros como em gatos. A sua infestação acontece quando o animal ingere pulgas, e essa é uma patologia que também pode ser transmitida para os seres humanos.

É possível perceber que o animal está infestado por esse parasita por meio de suas fezes, que podem conter alguns espécimes. Além disso, eles também podem ficar presos na região anal do animal. Os sintomas característicos dessa infestação são alterações no apetite, diarreia leve, dores abdominais e mal-estar.

Toxocara canis

Essa verminose acomete cães e seres humanos. A contaminação ocorre pela ingestão dos ovos, que seguem para o intestino e ali se transformam em larvas, podendo migrar para os brônquios, a traqueia e voltar para o intestino.

Essa patologia afeta órgãos como olhos, pulmões, fígado, rins e cérebro. Os sintomas característicos são o cansaço excessivo, a perda de peso e a anemia. O animal pode, ainda, adquirir um maior volume abdominal.

Tratamento ideal para verminose

Apesar de trazer sérias consequências, as verminoses em cães e gatos podem ser tratadas. Para isso, é importante identificar os sintomas e levar o seu amigo pet ao veterinário para que ele possa examinar o animal, identificar o parasita, recomendar o melhor vermífugo e explicar como aplicá-lo.

A prevenção deve ser feita com o devido descarte das fezes do animal, em especial se ele já estiver infectado por vermes. É importante administrar as doses preventivas de vermífugo para evitar infestações.

O ideal é dar no mínimo 3 doses por ano de vermífugo ao pet, sendo uma dose na primavera, uma no verão e outra no inverno, como sugerido no Portal da Linha Vermivet. De um modo geral, há o reforço da dose cerca de 15 dias após a primeira administração. Além disso, sempre respeite a dosagem ideal conforme o peso do animal ou segundo recomendação do veterinário.

As verminoses em cães e gatos são um tema muito importante. Afinal, elas podem afetar gravemente a saúde do seu pet e ainda trazer riscos para você. Por isso, cuide bem do seu animalzinho, ministre as doses preventivas e sempre prefira produtos de boa qualidade para ter bons resultados.

Falando nisso, você já conhece a Linha Vermivet? Leia mais sobre o assunto neste post!