Seja pelo sossego

Seja pelo sossego, economia, segurança ou aconchego, muitas pessoas optam em morar em apartamento. Algumas esbarram na dúvida se podem ou não acolher um pet em sua morada, se eles se adaptam ao espaço ou se serão aceitos pelos vizinhos. As respostas para estas questões são: SIM, SIM e SIM! Porém, com isso, crescem também as dúvidas relativas à presença dos animais não só em apartamentos, mas em áreas comuns.

 

Nossa legislação é carente na regulamentação do assunto, definindo apenas que o condômino não pode causar prejuízos e incômodos aos demais moradores, restando às Convenções de Condomínio estabelecer as demais normas de conduta para a boa convivência. Independentemente delas e prevalecido o bom senso, algumas orientações básicas facilitam esse relacionamento.

– Preferência aos pets de pequeno porte, como o Chihuahua, Pinscher, Corgi e Yorkshire. Nada contra aos animais de grande porte, porém, a principal pergunta a se fazer é: Eles serão felizes no pequeno espaço? Os gatinhos se adaptam melhor a espaços pequenos, mas não podemos afastar cuidados com a higiene e lugar para tomar sol.

– Sempre que possível, carregue o pet no colo ou em caixa de transporte, dando preferência ao elevador de serviços, se houver.

– Os passeios com o animal devem ser fora do condomínio. Pets precisam de outros pets, de outros ambientes, de outros cheiros e de outros ares, essenciais para serem saudáveis de corpo e de mente. Levá-los dar uma volta evita sedentarismo e obesidade, além de afastar o estresse, o qual desencadeia depressão e hábitos autodestrutivos.

– Higiene, vacinação e vermifugação devem estar em primeiro plano. Vocês estão mais juntos, dividindo os mesmos ambientes e, nada mais justo, do que compartilhar esses momento de forma segura, cheirosa e sem medo. Como, quando e com quais medicamentos vermifugar? Navegue pelo nosso Hotsite e você encontrará todas as respostas.