Muitos problemas podem afetar a saúde do seu cão no dia a dia. Alguns deles, como a contaminação por vermes, são corriqueiros e merecem atenção dos donos para realizarem os cuidados necessários para proteger o seu animal. Afinal, o seu grande amigo merece o melhor, não é mesmo?

Uma das doenças caninas mais comuns é a infecção causada pela tênia, um parasita comum e de fácil transmissão entre os mamíferos, principalmente cães e gatos. Por isso é essencial que você, pet lover, saiba como protegê-los desse problema.

Continue lendo e saiba mais sobre como lidar com tênia em cães e cuide bem do seu amigo peludo.

O que é a tênia?

A tênia (Dipylidium caninum) é um verme parasita do grupo cestoda (vermes achatados) que, tradicionalmente, se aloja no intestino dos mamíferos, principalmente caninos. É uma espécie de lombriga que, normalmente, tem dois hospedeiros: um intermediário, normalmente nas larvas de pulgas, e o final, os mamíferos infectados por pulgas, normalmente cães e gatos.

É um verme que pode chegar a alcançar os 70 cm de crescimento e tem, em média 3 mm de diâmetro.

Como ela é transmitida?

Os ovos da tênia são eliminados pelas fezes dos cães. A partir do momento que são eliminadas e chegam ao ambiente, as larvas de pulgas passam a se alimentar desse material e, consequentemente, as larvas das tênias passam a parasitar as pulgas, tornando o inseto o hospedeiro imediato.

Dentro das pulgas, as tênias passam a desenvolver para a próxima fase do ciclo de vida e aguardam até que possam infectar seu hospedeiro final. Enquanto isso, a pulga também procura os cães para viver sobre sua pele e, também, se desenvolverem, alimentando do sangue deles.

Quando a pulga é ingerida por um mamífero (normalmente cães ou gatos), o parasita se descola e se instala na parede intestinal do seu novo hospedeiro. Ali passa a se alimentar junto do animal. A partir do momento que ela chega a esse local, começa um novo ciclo: o da reprodução. Assim, são gerados os ovos, que são eliminados nas fezes e transmitidos para os novos hospedeiros.

Lembrando que a tênia é hermafrodita, ou seja, basta apenas um espécime para gerar novos ovos e dar início à transmissão.

Quais os sintomas da tênia?

Normalmente é uma verminose assintomática, ou seja, pelo simples olhar é difícil para os tutores identificarem a contaminação. Porém, uma inspeção mais atenta para as fezes é capaz de perceber uma alteração simples que identifica a infecção: a presença da proglote grávida.

A proglote é um saco de ovos do parasita, que é eliminado junto das fezes do animal. A olho nu, o dono identificará algo semelhante a pequenos grãos de arroz. Porém, eles se movimentam, esticam ou encolhem ao longo do tempo. Cada saco desse tem, em média, 30 embriões.

Eles também podem estar presentes em outros locais onde o animal costuma ficar, principalmente sobre a cama ou local no qual o pet dorme.

Porém, em casos mais graves, ou seja, quando o animal está com um alto número de parasitas no corpo, ele apresentará alguns sintomas mais nítidos, tais como:

  • pelo mais áspero ou opaco (até mesmo apresentando alto volume de queda);
  • perda de peso sem apresentar perda de apetite;
  • aumento de peso sem apresentar aumento de apetite;
  • inchaço da região abdominal;
  • o animal passa a andar arrastando a parte traseira no chão, como uma forma de aliviar irritação anal;
  • diarreia ou constipação.

Em filhotes, a infecção por tênia pode causar até mesmo pneumonia e risco de vida, devido a anemia, diarreia e inflamação intestinal gerada. Por isso, é importante saber identificar a presença do problema e resolvê-lo o quanto antes.

Ela passa para os seres humanos?

A resposta é sim. Todo mamífero que tem contato com pulgas está sujeito a contrair a tênia, e os seres humanos estão incluídos nisso. A contaminação ocorre, principalmente, em crianças, pois elas têm o hábito de colocar a mão suja na boca depois de interagir com os cães ou brincar em espaços abertos (como parques e jardins), que podem ter presença de resquícios de fezes de animais.

Assim, é importante que, ao brincar com cachorros, seja apenas os seus ou de outras pessoas, sempre tenha o hábito de lavar as mãos imediatamente, como uma forma de evitar a ingestão acidental de pulgas e, assim, contaminar-se com a tênia.

Caso isso ocorra, é necessário tomar as medidas profiláticas, com o uso de medicamentos que eliminam os vermes do organismo, por meio de orientação médica. Nos seres humanos, a tênia pode causar dor abdominal, icterícia, dor no peito, formação de cistos diversos, urticária e, até mesmo, anafilaxia — reação alérgica grave, que gera risco de morte.

Como evitar a tênia em cães?

Como vimos, a principal forma de transmissão da tênia em cães é por meio das pulgas. Assim, para evitar que ela afete seu cachorro, você deve focar em dois protocolos:

  • evitar que as pulgas cheguem até ele;
  • prevenir a infecção por vermes.

Isso é possível por meio do uso de antipulgas e vermífugos.

Como tratar a tênia em cães?

A partir do momento em que o dono identificar a presença do parasita nas fezes do animal, ele deve agir para sanar a situação. Caso o médico veterinário confirme a infecção, ele receitará um vermífugo para cães, que auxiliará na eliminação do verme e protegerá o seu amigo de novas infecções por determinado período de tempo. Por exemplo, é o momento de aplicar a dose de verão, necessária para proteger o pet durante essa estação.

Além disso, como prevenção e tratamento, também deve ser aplicada uma substância antipulgas, que auxiliará a evitar que esse parasita se aproxime do cão e seja ingerido, gerando a contaminação pela tênia. Assim, o ambiente deve ser bem higienizado para evitar que o animal permaneça em sua residência.

Pet lover, lembre-se que a vermifugação é uma dose de carinho para o seu animal de estimação, que merece todos os cuidados possíveis para manter a sua saúde em dia, reforçando esse laço tão importante de amizade.

Assim, além dos cuidados com vermifugação e o protocolo antipulgas para evitar tênia em cães, é importante você zelar pelo bem-estar constante dele. Então, aproveite e leia nosso artigo com os 9 cuidados necessários para cuidar de um cachorro e previna outros problemas, fazendo seu amigo feliz.