Se você tem um pet, certamente já ouviu falar do vermífugo para cães. No entanto, há uma dúvida muito comum: como dar Vermivet? Esse tipo de questionamento acompanha a maioria dos tutores que não sabem muito bem como proceder com esses cuidados para seus bichinhos.

Esses organismos são parasitas que prejudicam a vida dos animais e até mesmo a do seu dono — você sabia que existem alguns tipos de vermes que podem ser passados para os humanos?

Por isso, é muito importante dar a atenção para a campanha de três doses de vermífugo (primavera, verão e inverno). Esse cuidado especial com o cachorro previne doenças causadas pelos vermes, protegendo a saúde do animal e melhorando a sua qualidade de vida.

Contudo, existem muitas dúvidas que permeiam esse assunto, como: de quanto em quanto tempo devo medicar o cãozinho? Qual é a dose? Como sei se o meu pet está com vermes? Se você tem esses e outros anseios, fique tranquilo! Com este post, vamos ensinar tudo sobre o assunto. Boa leitura!

Quais as principais verminoses que exigem cuidados?

 

Existem inúmeros tipos de vermes que podem acometer os pets, mas três deles são os mais comuns. Por isso, saiba identificar os sintomas e tomar os cuidados necessários.

 

Dirofilaria immitis (Dirofilariose)

Essa doença é popularmente conhecida como verme do coração. Ela é causada pelo parasita Dirofilaria immitis. Muitos cães (principalmente os infectados recentemente) são assintomáticos, sendo diagnosticados apenas por testes de rotina. Quando a doença está em estado avançado, pode provocar dentre outros sintomas:

  • tosse crônica;
  • dificuldade para respirar ou aceleração do ritmo respiratório;
  • perda dos sentidos;
  • fadiga;
  • perda de peso;
  • insuficiência cardíaca.

Toxocara canis (Toxocaríase)

 

É uma doença ocasionada pelo nematódeo toxocara canis, que completa o seu ciclo biológico no intestino delgado do cachorro. Os principais sintomas normalmente são leves), contudo, podem levar o animal à morte caso a situação não seja revertida o quanto antes. Os sinais mais comuns incluem: 

 

  • diarreia; 
  • distensão abdominal; 
  • retardo no desenvolvimento.

 

Outra característica importante dessa doença é o fato dela ser uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida aos seres humanos. Esse é só mais um motivo para cuidarmos muito bem de nossos bichinhos, a fim de deixá-los livres de enfermidades sérias e também de proteger os humanos de nossa família.

Giárdia sp (Giardíase)

A giardíase é uma infecção causada por um protozoário flagelado do gênero giardia. A maioria dos cães é assintomática, contudo, os sinais clínicos são mais comuns em animais imunossuprimidos e em filhotes são:

 

  • dor abdominal; 
  • diarreia com fezes pastosas, líquidas e mal cheirosas;
  • presença ocasional de sangue ou muco nas fezes;
  • vômitos;
  • perda de peso;
  • redução do apetite;
  • desânimo ou apatia.

 

Assim como a toxocaríase, a giardíase é, infelizmente, uma zoonose. Por isso, precisamos preveni-la não só para deixar nossos pets sempre saudáveis e livres de desconfortos que prejudicam a sua qualidade de vida, mas também para evitar que os petlovers da casa sejam prejudicados.

 

Como identificar se o cachorro está com verme?

Se o seu cão estiver com vermes (por você não ter dado as três doses anuais do vermífugo ou tê-lo administrado da forma incorreta), é possível perceber pelo comportamento diferente que ele apresenta quando está infectado. Você perceberá algumas características peculiares. Confira os principais sintomas:

 

  • perda de apetite; 
  • diarreia; 
  • vômitos; 
  • barriga inchada; 
  • fezes moles (com meleca transparente, como uma clara de ovo); 
  • remelas nos olhos; 
  • sangue nas fezes;
  • queda de pelos; 
  • pelos sem brilho; 
  • sonolência; 
  • anemia; 
  • esfregar o ânus no chão (desconforto).

 

Caso o seu cachorro apresente esses sinais, o ideal é levá-lo imediatamente a um veterinário. Somente ele poderá fazer exames para identificar o tipo de verme que o cachorro tem e pode indicar o melhor tratamento.

Além disso, vale a pena ressaltar que a ida ao veterinário deve ser feita o quanto antes. Afinal, os danos causados por parasitas (como a anemia, por exemplo) podem trazer inúmeros prejuízos sistêmicos (ou seja, que atingem todo o organismo) ao bichinho, tornando o tratamento mais complicado e deixando-o bem debilitado.

 

De quanto em quanto tempo deve ser administrado o vermífugo?

Para evitar que o seu cachorro tenha vermes, dê atenção em manter as doses do vermífugo em dia. Sabemos que na correria do dia a dia, muitas pessoas acabam esquecendo de administrar corretamente a substância para os seus pets.

Felizmente, nós temos uma solução simples e bastante prática para esse problema tão comum: cadastre-se no nosso site e receba um lembrete via SMS quando estiver na hora de dar o vermífugo para o seu animalzinho.

Porém, afinal, quais são os momentos certos de administrar esse tipo de medicação? Em regras gerais, é sempre importante observar as três doses anuais:

  • dose de verão (janeiro a abril): para proteger o cão durante as férias — período em que ele está exposto em novos ambientes; 
  • dose de inverno (maio a agosto): para proteger o cão no período em que ele fica mais tempo em casa. Assim, protege também a família; 
  • dose de primavera (setembro a dezembro): para proteger o cão durante o retorno das suas atividades no ambiente externo.

Com esses cuidados, é muito fácil manter seu amado pet sempre saudável, contente e aprontando bastante em sua casa!

Qual é a dosagem correta para cada animal?

Para saber qual é a dosagem correta para o seu cachorro, pese-o. Saber o peso é essencial para comprar o vermífugo correto. Isso porque, existem dois grandes erros: a dosagem incorreta e a superdosagem.

Ambas prejudicam a saúde do animal e podem trazer complicações futuras. Por isso, antes de comprar qualquer medicamento, saiba com precisão o peso do seu cachorro. Caso você não tenha uma boa balança em sua casa, conte sempre com a ajuda de um médico veterinário. As clínicas e hospitais contam com equipamentos específicos para pesar os animais de diferentes portes.

Para ajudar a descobrir qual é a dosagem e o vermífugo ideal para o seu pet, conheça a ferramenta simuladora de doses: você seleciona se tem um cão ou um gato e depois o peso e a ferramenta indica o vermífugo ideal! Rápido e muito prático.

Como devo dar o medicamento para o pet?

Com relação a como dar o medicamento para o pet, na verdade, você deve encontrar a melhor maneira de fazer isso. Não há nenhuma receita de bolo, afinal, cada animal tem um tipo de comportamento e somente o dono conhece a sua personalidade.

Para você ter uma ideia, existem cachorros que comem o comprimido sem a menor dificuldade. Outros, basta esconder o vermífugo dentro da ração ou de um pedaço de carne cozida e sem sal (ou petisco). Há casos ainda que, o comprimido é amassado e diluído em água e administrado por uma seringa.

Se o seu pet não aceita nenhum tipo de opção acima, você pode segurá-lo e depositar o vermífugo muito perto da sua garganta. Depois disso, feche a boca e massageie o seu pescoço com o focinho para cima. Isso o obrigará a engolir o remédio.

Por isso, encontrar a melhor maneira de administrar o vermífugo varia pela persistência, carinho e tipo de relação que o cão tem com o seu dono. Em regras gerais: não se deve dar nenhum medicamento para o cão se ele estiver irritado. Ele pode ter reações extremas como mordê-lo.

Mais uma vez, a nossa recomendação é procurar a ajuda de um médico veterinário em casos extremos. Esse profissional conta com a experiência e as técnicas para a administração de medicações e, portanto, pode ajudá-lo a vermifugar o seu melhor amigo sem causar estresse a nenhum dos envolvidos na tarefa.

Gostou deste post? Então, que tal compartilhá-lo em suas redes sociais? Assim, outros petlovers como você poderão ficar por dentro das informações importantes sobre a vermifugação de seus amigos inseparáveis!