Se você tem um pet, certamente já ouviu falar do vermífugo para cães. Os vermes são parasitas que prejudicam a vida dos animais e até mesmo a do seu dono — você sabia que existem alguns tipos de vermes que podem ser passados para os humanos?

Por isso, é muito importante dar a atenção para a campanha de três doses de vermífugo (primavera, verão e inverno). Esse cuidado especial com o cachorro previne doenças causadas pelos vermes, protegendo a saúde do animal e melhorando a sua qualidade de vida.

Contudo, existem muitas dúvidas que permeiam esse assunto, como: de quanto em quanto tempo devo medicar o cãozinho? Qual é a dose? Como sei se o meu pet está com vermes?

Se você tem esses e outros anseios, fique tranquilo! Com este post, vamos ensinar tudo sobre o assunto.

Quais as principais verminoses que exigem cuidados?

Existem três tipos de vermes importantes que podem causar danos ao seu pet. Por isso, saiba identificar os sintomas e tomar os cuidados necessários. 

Dirofilaria immitis

Essa doença é popularmente conhecida como verme do coração. Ela é causada pelo parasita Dirofilaria immitis. Muitos cães (principalmente os infectados recentemente) são assintomáticos, sendo diagnosticados apenas por testes de rotina. Quando a doença está em estado avançado, pode provocar dentre outros sintomas:

  • tosse crônica;
  • dificuldade para respirar ou aceleração do ritmo respiratório;
  • perda dos sentidos;
  • fadiga;
  • perda de peso;
  • insuficiência cardíaca.

Toxocara canis

É uma doença ocasionada pelo nematódeo toxocara canis, que completa o seu ciclo biológico no intestino delgado do cachorro. Os sintomas normalmente são leves (diarreia, distensão abdominal e retardo no desenvolvimento), contudo, podem levar o animal à morte.

Giárdia sp

A giardíase é uma infecção causada por um protozoário flagelado do gênero giárdia. A maioria dos cães é assintomática, contudo, os sinais clínicos são mais comuns em animais imunossuprimidos e em filhotes: dor abdominal e diarreia com fezes pastosas ou líquidas e malcheirosas.

Como identificar se o cachorro está com verme?

Se o seu cão estiver com vermes (por você não ter dado as três doses anuais do vermífugo ou tê-lo administrado da forma incorreta), é possível perceber pelo comportamento diferente que ele apresenta quando está infectado. Você perceberá algumas características peculiares. Confira os principais sintomas:

  • perda de apetite;
  • diarreia;
  • vômitos;
  • barriga inchada;
  • fezes moles (com meleca transparente, como uma clara de ovo);
  • remelas nos olhos;
  • sangue nas fezes;
  • queda de pelos;
  • pelos sem brilho;
  • sonolência;
  • anemia;
  • esfregar o ânus no chão (desconforto).

Caso o seu cachorro apresente esses sinais, o ideal é levá-lo imediatamente a um veterinário. Somente ele poderá fazer exames para identificar o tipo de verme que o cachorro tem e pode indicar o melhor tratamento.

De quanto em quanto tempo deve ser administrado o vermífugo?

Para evitar que o seu cachorro tenha vermes, dê atenção em manter as doses do vermífugo em dia. Sabemos que na correria do dia a dia, muitas pessoas acabam esquecendo de administrar o vermífugo para os seus pets. Contudo, nós temos uma solução: cadastre-se no nosso site e receba um lembrete via SMS quando estiver na hora de dar o vermífugo para o seu animalzinho.

Em regras gerais, é sempre importante observar as três doses anuais:

  • Dose de verão (janeiro a abril): para proteger o cão durante as férias — período em que ele está exposto em novos ambientes;
  • Dose de inverno (maio a agosto): para proteger o cão no período em que ele fica mais tempo em casa. Assim, protege também a família;
  • Dose de primavera (setembro a dezembro): para proteger o cão durante o retorno das suas atividades no ambiente externo.

Qual é a dosagem correta para cada animal?

Para saber qual é a dosagem correta para o seu cachorro, pese-o. Saber o peso é essencial para comprar o vermífugo correto. Isso porque, existem dois grandes erros: a dosagem incorreta e a superdosagem. Ambas prejudicam a saúde do animal e podem trazer complicações futuras. Por isso, antes de comprar qualquer medicamento, saiba com precisão o peso do seu cachorro.

Para ajudar a descobrir qual é a dosagem e o vermífugo ideal para o seu pet, conheça a ferramenta simuladora de doses: você seleciona se tem um cão ou um gato e depois o peso e a ferramenta indica o vermífugo ideal! Rápido e muito prático.

Como devo dar o medicamento para o pet?

Com relação a como dar o medicamento para o pet, na verdade, você deve encontrar a melhor maneira de fazer isso. Não há nenhuma receita de bolo, afinal, cada animal tem um tipo de comportamento e somente o dono conhece a sua personalidade.

Para você ter uma ideia, existem cachorros que comem o comprimido sem a menor dificuldade. Outros, basta esconder o vermífugo dentro da ração ou de um pedaço de carne cozida e sem sal (ou petisco). Há casos ainda que, o comprimido é amassado e diluído em água e administrado por uma seringa.

Se o seu pet não aceita nenhum tipo de opção acima, você pode segurá-lo e depositar o vermífugo muito perto da sua garganta. Depois disso, feche a boca e massageie o seu pescoço com o focinho para cima. Isso o obrigará a engolir o vermífugo.

Por isso, encontrar a melhor maneira de administrar o vermífugo varia pela persistência, carinho e tipo de relação que o cão tem com o seu dono. Em regras gerais: não se deve dar nenhum medicamento para o cão se ele estiver irritado. Ele pode ter reações extremas como mordê-lo.

O vermífugo para cães deve ser administrados durante toda a vida do seu pet, pela campanha das três doses anuais (verão, inverno e primavera) para protegê-lo dos vermes. Somente assim, ele terá uma vida saudável, feliz e sem medo de complicações futuras. Para isso, existem ferramentas que podem ajudar a lembrar de administrar as doses e também para simular qual é a dose indicada para o seu pet.

Se você é um pet lover, certamente ficou interessado em conhecer os melhores vermífugos para vermes. Por isso, acesse o portal da linha Vermivet para conhecer mais sobre os nossos produtos.